◘ LIVROS INDICADOS

Sugestão de Livros

 


Indicação de Livros

Entendo que para se obter uma visão ampla e crítica de nossa itinerância pelo mundo, cinco grandes áreas do conhecimento são imprescindíveis ao espírito investigativo. 

1 - Mitologia. 2 – Filosofia. 3 - Artes. 4 – Religião. 5 – Ciências.  6 - Literatura. Todas estudadas a partir de uma base de contextualização Histórica desde a origem da nossa formação social e política, até nossos dias. Para esta base sugiro as seguintes obras introdutórias.

 1 - MITOLOGIA

O termo mitologia indica, de modo geral, um conjunto de histórias e lendas sem autoria definida, transmitidas oralmente de geração a geração.No estudo da civilização greco-romana a palavra mitologia passou a designar as histórias tradicionais dos deuses.O Livro de Ouro da Mitologia corresponde aos capítulos de "Histórias de Deuses e Heróis", da Mitologia de Bulfinch, célebre historiador norte-americano, falecido em 1867.A obra é mais que um mero dicionário clássico e menos formal que uma tradução acadêmica da imensa literatura sobre os mitos.O Livro de Ouro da Mitologia é a melhor obra de referência e divulgação da mitologia, indicada em escolas e universidades de todo o mundo.

 



Paideia é o estudo mais profundo e completo sobre os ideais de educação da Grécia antiga. Jaeger estudou a interação entre o processo histórico da formação do homem grego e o processo espiritual através do qual os gregos chegaram a elaborar seu ideal de humanidade.

Autor: Werner Jaeger

 

 


A Eneida (Aeneis em latim) é um poema épico latino escrito por Virgílio no século I a.C.

Conta a saga de Eneias, um troiano que é salvo dos gregos em Troia, viaja errante pelo Mediterrâneo até chegar à península Itálica. Seu destino era dar origem à descendência dos fundadores de Roma.

 


A obra é composta de dez cantos, 1102 estrofes e 8816 versos que são oitavas decassílabas, sujeitas ao esquemarímico fixo AB AB AB CC – oitava rima camoniana. A acção central é a descoberta do caminho marítimo para a Índia por Vasco da Gama, à volta da qual se vão descrevendo outros episódios da história de Portugal, glorificando opovo português.








Popularmente O texto, escrito em sânscrito, relata o diálogo de Krishna (uma das encarnações de Vixnu) com Arjuna (seu discípulo guerreiro) em pleno campo de batalha. Arjuna representa o papel de uma alma confusa sobre pontos importantes da filosofia indiana, que incluía já na época elementos do bramanismo e do Sankhya. A obra é uma das principais escrituras sagradas da cultura seu dever, e recebe iluminação diretamente do Senhor Krishna, que o instrui na ciência da auto-realização. No desenrolar da conversa são colocados da Índia, e compõe a principal obra da religião Vaishnava, que envo, tendo influenciado de maneira decisiva inúmeros movimentos espiritualistas.lve várias ramificações de fé em Vishnu ou Krishna, dentre as quais o conhecido movimento Hare Krishna, que a difundiu, a partir de 1965, no ocidente, por Bhaktivedanta Swami Prabhupada.

A O Bagavadguitá é a essência do conhecimento védico da Índia e um dos maiores clássicos de filosofia e espiritualidade do mundo. A filosofia perene do Bagavadguitá tem intrigado a mente de quase todos os grandes pensadores da humanidade  

 

  

 Trata-se de uma tentativa de tornar compreensível, por meio de uma explanação histórico-antropológica, como os Roma, lavada em sangue negro e sangue índio, destinada a criar uma esplêndida civilização, mestiça e tropical, mais alegre, porque mais sofrida, e melhor, porque assentada na mais bela província da Terra.

 



................................................................................

2- FILOSOFIA


1) Filosofando - Introdução à Filosofia. M L. A. Aranha eM H. P. Marfins. Ed. Moderna.
2) Convite à Filosofia. Marilena Chaui. Editora Ática.
3) O Mundo de Sofia. Jostein Gaarder. Cia. Das Letras.
4) Temas de Filosofia . .ft/faria L. A. Aranha e Maria H P. Martins. Ed. Moderna.
5) Pensando Melhor - Iniciação ao Filosofar. Angélica Sátiro e Ana M Wuensch. Saraiva.
6) Uma Breve Introdução à Filosofia. Thomas Nagel. Martins Fontes.
7) Filosofia para Principiantes. Richard Osbome. Ed. Objetiva.
8) Filosofia Básica. Henrique Nie/sen Neto. Atual Editora.
9) Introdução ao Estudo da Filosofia. Antônio Xavier Teles. Editora Ática.
10) Primeira Filosofia. Departamento de Filosofia da USP (vários autores). Brasiliense.
11) História da Filosofiaº(:i<:l~tªl.lJertrand Russell. Cººil (4 vols.).
12) História da Filosofia. Umberto Padovani e Luís Castagnola. Melhoramentos.
13) A História da Filosofia. Will Durant. Nova Cultural.
14) Fundamentos de Filosofia. Manuel Garcia Morente. Ed. Mestre Jou.
15) História da Filosofia. M F. Sciacca. Ed. Mestre Jou (3 vols.).
16) O Pensamento Antigo. Rodolfo Mondolfo. Ed. Mestre Jou.
17) Introdução à Filosofia. Battista Mondin. Paulus.
18) Curso de Filosofia. Battista Mondin. Paulus (3 vols.).
19) Caminhos da Razão no Ocidente. Tiago Adão Lara. Ed. Vozes.
20) História da Filosofia Antiga. Giovanni Reale. Edições Loyola (5 vols.).

24) Pequeno Tratado das Grandes Virtudes. André Comte-Sponville. Martins Fontes.
25) Ética Para Meu Filho. remando Savater. Martins Fontes.
26) Amizade e Filósofos. Massimo Baldini (org.). EDUSC.
27) O Que é Religião. Rubem Alves. Edições Loyola.
28) Quem é Deus? Battista Mondin. PauJus.
29) Os Grandes Escritos Anarquistas. George Woodcock. L&PM.
30) KarlMarx. DavidMcLel/an. Ed. Vozes.
31) Vidas e Doutrinas dos Filósofos Ilustres. Diógenes Laêrtios. Editora UnE.
32) Os Pensadores. Abril Cultural.
33) Coleções Primeiros Passos Brasiliense
34) Logos. Ed. Moderna.
35) Passo-a-Passo(fi/osofia). Jorge: Zahar Editor.
36) Vida e Pensamento. Martin Claret.
37) A Obra-Prima de Cada Autor. Martin Claret.
38) Ensaios Ad Hominem. Estudos e Edições Ad Hominem.


39) GAARDER, Jostein  O Mundo de Sofia  Editora Cia. das letras.

40) COMTE-SPONVILLE, André  Pequeno Tratado das Grandes Virtudes

    Tradução Eduardo Brandão  Editora Martins Fontes  São Paulo, 2004.

41). NETO, Henrique Nielsen  Filosofia Básica  Atual Editora Ltda.

42) ARANHA, Maria Lúcia de Arruda

    MARTINS, Maria Helena Pires  Filosofando  Editora Moderna

43). BAKTIN, Mikhail  Marxismo e Filosofia da Linguagem  Editora Hucitec

44) São Paulo, 19886. PEREIRA Boy, Priscila  Inquietações e desafios da escola    Inclusão, violência, aprendizagens e carreira docente, Wak Editora,     Rio de Janeiro, 2010

39) Dicionário de Filosofia. N. Abbagnano. Martins Fontes.
40) Vocabulário Técnico e Crítico da Filosofia. A. La/ande. Martins Fontes.
41) Dicionário do Pensamento Marxista. Tom Bottomore. Jorge Zahar Editor.


 

AUTORES: PLATÃO – (428/27 a 347 a.C.)

Diálogos Platônicos:

Platão escreveu, principalmente, na forma de diálogos. Esses escritos, considerados autênticos, são, provavelmente em ordem cronológica :

  1. Hípias menor: trata do agir humano;
  2. Primeiro Alcibíades: trata da doutrina socrática do auto-conhecimento;
  3. Segundo Alcibíades : trata do conhecimento;
  4. Apologia de Sócrates: relata o discurso de defesa de Sócrates no tribunal de Atenas;
  5. Eutífron: trata dos conceitos de piedade e impiedade;
  6. Críton: trata da justiça;
  7. Hípias maior: discussão estética;
  8. Hiparco: ocupa-se com os conceitos de cobiça e avidez;
  9. Laques: trata da coragem;
  10. Lísis: trata da amizade/amor;
  11. Cármides: diálogo ético;
  12. Protágoras: trata do conceito e natureza da virtude;
  13. Górgias: trata do verdadeiro filósofo em oposição aos sofistas;
  14. Mênon: trata do ensino da virtude e da rememoração (anamnese);
  15. Fédon: relata o julgamento e morte de Sócrates e trata da imortalidade da alma;
  16. O Banquete: trata da origem, as diferentes manifestações e o significado do amor sensual;
  17. Fedro: trata da retórica e do amor sensual;
  18. Íon: trata de poesia;
  19. Menêxeno: elogio da morte no campo de batalha;
  20. Eutidemo: crítica aos sofistas;
  21. Crátilo: trata da natureza dos nomes;
  22. A República: aborda vários temas, mas todos subordinados à questão central da justiça;
  23. Parmênides: trata da ontologia. É neste diálogo que o jovem Sócrates, a personagem, defende a teoria das formas que é duramente criticada por Parmênides;
  24. Teeteto: trata exclusivamente da Teoria do Conhecimento;
  25. Sofista: diálogo de caráter ontológico, discute o problema da imagem, do falso e do não-ser;
  26. Politico: trata do perfil do homem político;
  27. Filebo: versa sobre o bom e o belo e como o homem pode viver melhor;
  28. Timeu: trata da origem do universo.
  29. Crítias: Platão narra aqui mito de Atlântida através de Crítias (seu avô). É um diálogo inacabado;
  30. Leis: aborda vários temas da esfera política e jurídica. É o último (inacabado), mais longo e complexo diálogo de Platão;
  31. Epidômite
  32. Epístolas: Cartas (dentre as quais, somente a de número 7 (sete) é considerada realmente autêntica)

 Tetralogias de Platão:

Há, na Antigüidade, duas classificações das obras de Platão: a trilógica, de Aristófanes de Bizâncio, e a tetralógica, de Trasilo. Segundo Diógenes Laércio, as 9 tetralogias são:
Muitos diálogos não inclusos nas tetralogias de Trasilo circularam com o nome de Platão, ainda que fossem considerados espúrios (notheuomenoi) até mesmo na Antigüidade.
  • Axíocho (2), Definições (2), Demódoco (2), Epigramas, Eríxia (2), Halcyon (2), Da Justiça (2), Da Virtude (2), Sísifo (2).
Os diálogos que estão marcados com (1) nem sempre são atribuídos a Platão, e os marcado com (2) são considerados apócrifos. Os que não estão marcados são de autoria certa. O critério para a atribuição é variado, mas geralmente são consideradas obras de Platão as que são citadas por Cícero ou Aristóteles, ou referidas pelo próprio autor em outros textos.
Fonte: wikip.


.AUTOR: ARISTÓTELES
 (Estagira, 384 a.C.Atenas, 322 a.C).

 Livro: Aristóteles Obras Completas 11 Volumes - Livros Novos


. A obra literária de Aristóteles pode repartir-se em duas classes: as esotéricas, escritas para o público em geral, e as acromáticas, escritas para um círculo limitado composto por todos aqueles que estivessem familiarizados com o pensamento da escola de Aristóteles. Estão nesta última classe os Diálogos, dos quais os mais conhecidos são Eudemo, três livros Sobre a Filosofia, quatro livros Sobre a Justiça, e ainda os tratados, não sob a forma de diálogos, e infelizmente perdidos, Sobre o Bem e Sobre as Ideias. Podem ainda referir-se nesta categoria, Poemas, Cartas, Orações, Apologia havendo dúvidas quanto à sua efectiva autoria.

 À classe dos escritos acroamáticos, pertencem todos os outros trabalhos, alguns dos quais que se perderam,  nomeadamente alguns tratados de anatomia e uma colectânea das diferentes constituições políticas dos estados gregos, tendo, no entanto, uma parte deste, que descreve a constituição de Atenas, sido descoberto num papiro egípcio publicado em 1891.
Os restantes trabalhos, cujos títulos se apresentam em latim, podem dividir-se em:

.Tratados de Lógica:



Categorias
De Interpretatione

Analytica Priora, 2 livros

Analytica Posteriora, 2 livros

Topica, 8 livros

De Sophisticis Elenchis



· Tratados metafísicos

Metaphysica, inicialmente intitulado por Aristóteles de Prote Philosophia (Primeira Filosofia), constituída por 14 livros.

· Tratados de Física:



Physica, 8 livros


De Coelo, 4 livros

Meteorologica, 4 livro

· Tratados de Biologia e Zoologia:


Historiae animalium, 9 livros


De Generation et Corruption, 2 livros

De Generatione Animallium, 5 livros

De Partibus Animalium, 4 livros



· Tratados de Antropologia e Psicologia:


De Anima


De Sensu et Sensibili

De Memoria et Reminiscentia

De Vita et Morte

De Longitudine et Brevitate vitae







· Tratados de Política e Ética:



Ethica Nichomachea


Politica, 8 livros




· Tratados de Poesia e Retórica:



Poética




Destes trabalhos, alguns foram escritos na sua forma atual e são exposições científicas escritas com esse intuito por Aristóteles. Outros, embora também escritos por ristóteles, resultam de notas de apoio às aulas do liceu para serem complementadas oralmente durante as mesmas. Algumas notas terão sido, provavelmente, escritas por discípulos de Aristóteles, sem qualquer intervenção do mestre.
Fonte: http://www.educ.fc.ul.pt/docentes/opombo/hfe/momentos/escola/liceu/obras_aristoteles.htm





Jean-Jacques Rousseau (também conhecido como J.J. Rousseau ou simplesmente Rousseau) (Genebra, 28 de Junho de 1712Ermenonville,  2 de Julho de 1778) foi um importante filósofo, teórico político, escritor e compositor autodidata suíço. É considerado um dos principais filósofos do iluminismo e um precursor do romantismo. Para ele, as instituições educativas corrompem o homem e tiram-lhe a liberdade. Para a criação de um novo homem e de uma nova sociedade, seria preciso educar a criança de acordo com a Natureza, desenvolvendo progressivamente seus sentidos e a razão com vistas à liberdade e à capacidade de julgar1 .





.....................................................................

  3 -RELIGIÃO     



6 - LITERATURA E POESIA


AUTOR: Richard Bach (Oak Park, Illinois, 23 de junho de 1936) é um escritor de nacionalidade estadunidense.










A principal ocupação de Bach foi como piloto reserva da Força Aérea e praticamente todos os seus livros envolvem o voo de certa maneira, desde suas primeiras histórias sobre voar em aeronaves até suas últimas onde o voo é uma complexa metáfora filosófica. Bach alcançou enorme sucesso com Fernão Capelo Gaivota, sucesso este não igualado por seus livros posteriores; entretanto, seu trabalho continua popular entre os leitores.

  •  (Estranho à Terra) - 1963
  •  (Biplano) - 1966
  •  (Nada por Acaso) - 1969
  •  (Fernão Capelo Gaivota) - 1970
  •  (O Dom de Voar) - 1974
  •  (Longe é um lugar que não existe) - 1976
  •  (Ilusões - As aventuras de um messias indeciso) - 1977
  •  (A Ponte para o Sempre) - 1984
  •  (Um) - 1988
  •  (Fugindo do Ninho) - 1994
  •  (Fora de Mim - A descoberta de saunders-vixen) - 1999
  (Um voo solitário, tradução de Ivo Korytowski) - 2002
  (Resgate no Mar, tradução de Ivo Korytowski) - 2002
  (Em Busca de Inspiração, tradução de Ivo Korytowski) - 2002
   Rancher Ferrets on the Range - 2003
  • The Last War - 2003
  • Flying - 2003
  •  (Manual do Messias - Um guia para a alma avançada) - 2004


Publicado em 1922, O Banqueiro Anarquista é uma espécie de «sátira diabética» ou «conto do raciocínio», como a ele se referia o próprio Pessoa. Construído à maneira dos diálogos platônicos, desenvolve-se entre um personagem anônimo e um ex-operário, também anônimo, que se tornou banqueiro. No diálogo, o banqueiro narra o seu processo de formação, procurando demonstrar pela via da lógica porque é, de fato, «anarquista», na teoria e na prática. Trata-se de uma obra extraordinária atualidade, que choca pelo seu caráter vincadamente universal, pois este é um diálogo que poderiam manter duas personagens em qualquer parte do mundo (sobretudo ocidental).
           
Causa certa estranheza a idéia de que um banqueiro possa ser anarquista, imaginando-se talvez que seja um anarquista não praticante, ou que o seja na teoria, mas não na prática. O banqueiro retratado por Pessoa, contudo, considera toda a sua vida exemplificativa do verdadeiro anarquismo descrevendo como, desde jovem, foi resolvendo diversas contradições e dúvidas até chegar à “técnica do anarquista”.
Concluirá o banqueiro que todos devem trabalhar para um mesmo fim, mas separados, de forma a não sucumbirem à pressão social, podendo tornar-se livres do dinheiro, da sua influência e força, através da aquisição da maior soma possível. O Banqueiro Anarquista, conto de uma atualidade surpreendente, publicado no n.º 1 da revista Contemporânea, tem conhecido um conjunto apreciável de edições e reedições ao longo dos últimos setenta anos, orgulhando-se a Assírio & Alvim da presente edição, organizada por Manuela Parreira da Silva, na qual se apresenta o texto de 1922, inserindo-se em apêndice os rascunhos deixados por Pessoa, de forma a que o leitor possa conhecer o texto na íntegra.




Professores do Brasil: impasses e desafios (a venda)

Amplo estudo sobre a formação inicial e continuada e a carreira dos professores no Brasil

Coordenadoras: Gatti, Bernadete A.; Barretto, Elba siqueira de Sá

Brasília: UNESCO, 2009. 293 p. (Reimpressão 2010)

PREÇO - R$ 30,00

Resumo: A UNESCO, em sua missão de cooperar com a política educacional dos governos, com o apoio do Ministério da Educação, concebeu um projeto para o desenvolvimento de amplo estudo sobre a formação inicial e continuada e a carreira dos professores no Brasil. O intuito deste estudo foi de oferecer às diversas instâncias da administração educacional do país um exame crítico do quadro vigente, seguido de orientações e recomendações, para servir de subsídio para uma efetiva valorização dos professores. A fase atual da educação brasileira não é mais de denúncia de seus maus resultados, mas o delineamento de soluções possíveis e necessárias. Por isso, as pesquisadoras da Fundação Carlos Chagas, Bernadete Gatti e Elba de Sá Barreto, que coordenaram o estudo, publicam este documento, pelo qual a UNESCO disponibiliza a todos que possuem responsabilidade na formulação da política educacional.

28.09.2010
Source : UNESCO Office in Brasilia

...............................................................................................................


Livros em Audio-Books [Biblioteca virtual - Filosofia]  Acessar







Um comentário:

  1. o Professor, eu não entendi muito bem . O que é o trabalho do 1º ano ?

    ResponderExcluir

Para facilitar, você pode postar como anônimo e se não se importar identifique-se (Texto com até 4096 caracteres)

Olavo de Carvalho

Loading...

Sergio Cortella

Loading...